Pesquisar este blog

- Rancho D'Ajuda - Como plantar alho Poró - Que Delícia de Roça! Como fazer doce de figo cristalizado - Gir leiteiro como o próprio nome diz - Como plantar Kiuí - Como plantar pimentão - 3 dicas para quem quer plantar tomate - momento de plantar - Que Delícia de Roça! Broa de fubá - Maracujá roxo é nova opção para agricultores - Que Delícia de Roça! Como fazer galinhada Rancho D'Ajuda

PECUÁRIA DE LEITE

 
O preço do leite pago ao produtor nacional sofreu nova queda em dezembro e deve continuar a recuar no curto prazo, segundo estimativa da Scot Consultoria. Em janeiro, deve ocorrer o pico de produção na região Sudeste do país, que está em plena safra, e a partir de fevereiro os preços tendem a parar de cair ou à estabilidade.
A maior oferta por conta da safra explica a nova queda dos preços ao produtor, pelo terceiro mês seguido. O valor médio pago em dezembro pelo leite entregue em novembro foi de R$ 0,974 por litro, recuo de 2,9% no mês, conforme o levantamento da Scot.
Os preços do leite longa vida também recuaram, informou Rafael Ribeiro, analista da Scot. O produto no atacado ficou em R$ 2,02 por litro, em média, em dezembro, ante R$ 2,12 no mês anterior. No varejo, ficou em R$ 2,64 em dezembro abaixo dos R$ 2,80 por litro de novembro.
Sinal do aumento da oferta é alta no Índice Scot de Captação de Leite, que subiu 2,2% em novembro e deve subir mais 0,9% este mês, de acordo com Ribeiro. “A partir de fevereiro, a produção deve começar a cair no Sudeste”, observou o analista. “Há espaço para queda de mais 2 a 3 centavos (de real) no preço e, a partir de fevereiro deve haver estabilidade”, acrescentou.
Além da safra, outra razão para a queda dos preços é a menor demanda por lácteos entre os meses de novembro e dezembro, reflexo das férias e do período de festas, observa Ribeiro. Os cerca de 150 laticínios do país pesquisados pela Scot indicaram uma redução de 10% a 15% na demanda por lácteos nesses dois meses.
Mas a expectativa para 2014 é de que o consumo volte a se firmar, segundo o analista, para quem existe espaço para crescimento das vendas de lácteos em regiões do país, como o Nordeste, por exemplo.
Isso ocorrerá, porém, num cenário de oferta maior de matéria-prima, reflexo dos investimentos na produção feitos em 2013 em decorrência dos preços mais altos do leite ao pecuarista. “Isso pode segurar um pouco os aumentos em 2014″, previu.
De acordo com o levantamento da Scot, entre os 150 laticínios ouvidos 79% acreditam em nova queda dos preços do leite ao produtor no pagamento de janeiro. Outros 20% apostam em estabilidade no preço da matéria-prima e apenas 1% acredita em alta.
Fonte: Valor de Mercado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TOP 10: Mais Acessadas

Arquivo do blog